Conexões entre Cultura Nacional, Identidade Corporativa e Marketing Global nas Empresas Americanas

Autores

  • Jonas Abreu Faculdade Anhanguera. RJ, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/1415-6571.2021v25n41p27-37

Resumo

Resumo
Este artigo tem por objetivo analisar a correlação entre o processo de desenvolvimento dos valores que configuraram a cultura nacional dos EUA e as identidades corporativas das grandes empresas americanas. Como este fenômeno foi gerado nas empresas de sociedade anônima, mais livres das amarras governamentais, formou-se uma estrutura de mercado global liderado pelas corporações americanas, ao redor dos paradigmas científicos surgidos no século XX. A maioria gozava dos princípios de liberdade e igualdade, garantidos pela autorregulamentação da economia. A metodologia utilizada para obter os resultados desta problematização, se constituiu de pesquisa exploratória caracterizada pela investigação dos marcos históricos, antropológicos e sociológicos relacionados à cultura e identidade, bem como sua reprodução no ambiente empresarial. A pesquisa bibliográfica explorou autores como: Emile Durkheim, George Mead, Claude Lévi-Strauss, Franz Boas, Nestor Canclini, Denis Cuche, Pierre Bourdieu, Frederick Taylor, Renato Ortiz, Arthur Schlesinger Jr e Philip Kotler. Dados e infográficos foram obtidos em publicações econômicas e artigos de websites especializados. A pesquisa permitiu concluir que as tendências liberal e conservadora, que se alternam na história americana, definem o nível de envolvimento das corporações do país, observando tanto as inclinações mercadológicas quanto os Governos. Nessa combinação de fenômenos se verifica a empresa americana ser construída, inicialmente, em volta da teoria do laissez-faire e tornar-se modelo internacional por meio dos princípios da administração científica. Posteriormente, adaptou-se ao New Deal, encaminhou sua identidade para uma empresa do tipo global e por fim, atualmente, se experimenta certo declínio de sua influência em função dos mercados transnacionais que estão sendo configurados desde 1980.

Palavras-chave: Cultura Nacional. Identidade Corporativa. Marketing Global. Cultura Nacional Americana. Empresas Americanas.

Abstract
This article aims to analyze the correlation between the values development process that shaped the national culture of the USA and the corporate identities of large American companies. As this phenomenon was generated in corporations, freer from government bonds, a global market structure led by American corporations was formed, around the scientific paradigms that emerged in the 20th century. The majority enjoyed the principles of freedom and equality, guaranteed by the economy self-regulation. The methodology used to obtain the results of this problematization, consisted of exploratory research characterized by the investigation of historical, anthropological and sociological landmarks related to culture and identity, as well as their reproduction in the business environment. The bibliographic research explored authors such as: Emile Durkheim, George Mead, Claude Lévi-Strauss, Franz Boas, Nestor Canclini, Denis Cuche, Pierre Bourdieu, Frederick Taylor, Renato Ortiz, Arthur Schlesinger Jr and Philip Kotler. Data and infographics were obtained from economic publications and articles from specialized websites. The research concluded that the liberal and conservative tendencies, which alternate in American history, define the level of involvement of the country's corporations, observing both the market inclinations and the governments. In this combination of events, we saw the American company being built initially around the theory of laissez-faire and becoming an international model through the principles of scientific management. Subsequently, he adapted to the New Deal, forwarded his identity to a global company and finally, he currently experiences a certain decline in his influence because of the transnational markets that have been configured since 1980.

Keywords: National Culture; Corporative Identity. Global Marketing. American National Culture. American Companies.

Biografia do Autor

Jonas Abreu, Faculdade Anhanguera. RJ, Brasil.

Mestrado em Produção cultural e Projetos sociais (FGV), especialização em marketing (UCAM).  Graduando em Administração. Coordenador técnico da Faetec Ipanema - Rio de Janeiro. Pesquisador de cultura, mídias, mercado e cidades. Experiencia em coordenação - pós-graduação e graduação - na área de negócios. Atuou como consultor de marketing (Sebrae). Autor de livros sobre marketing e negócios (Amazon). Vasta experiência em tutoria e coordenação de cursos on-line EAD. Conteudista e apresentador de aulas ao vivo. Professor de administração e marketing.

 

Downloads

Publicado

2021-06-25

Edição

Seção

Artigos Originais